sábado, 19 de dezembro de 2009

Endorfinómano, he said

Que tinha sido uma desinserção do tendão; isto é: que o tipo se tinha soltado do osso da bacia, mas que a tendência seria para se voltar a agarrar; pelo que ele prescrevia actividade física moderada, para que o tal protagonista não perdesse elasticidade e, mais a mais, estava-se mesmo a ver que eu era endorfinómano.

Analisemos então o insulto: a endorfina é uma substância natural produzida pelo cérebro em resposta à actividade física, com o objectivo de relaxar o organismo e prevenir a dor, pelo que provoca sensação de bem-estar e euforia, mais ou menos moderada.

Todos os praticantes de actividade física regular conhecem a sensação de, em determinada fase do exercício vermos o cansaço e a dor muscular substituídos por um inegável bem-estar, uma mistura de euforia e prazer, que proporcionar uma impressão de paz interior e uma certa e tranquilidade.

Ora aí surge o tal de endorfinómano, que tanto abrange o viciado em actividade física, que no caso de parar sofre crise de abstinência, como aquele que vai intensificando cada vez mais o exercício à procura da tal euforia.

Pois é, apesar de as endorfinas melhorarem a memória, o estado de espírito e o sistema imonulógico, de aumentarem a resistência e a disposição física e mental, de bloquearem as lesões nos vasos sanguíneos, aliviarem a dor e terem efeito antienvelhecimento – tudo coisas perniciosas, como se vê – eu arrisco e continuo a apostar nessa droga, pelo que após 9 dias sem treinar saí hoje pelas 7 da matina, ainda a cidade dormia, para um treino necessariamente curto de 45 minutos, ao longo do rio Douro.

14 comentários:

Pedro Ferreira disse...

Por falar nisso...tenho de ir ter com o meu fornecedor habitual de endorfinas!

João Paulo Meixedo disse...

não te esqueças da moeda de troca: os ténes ;)
Abraço

MPaiva disse...

Uns dormiam, outros, certamente, ainda não tinham chegado à cama!!!

Grande heroi, joão!

abraço
MPaiva

João Paulo Meixedo disse...

He he, hoje já não tive coragem.
Pelo sim pelo não inscrevi-me nas S. Silvestre de Gaia e Porto. Mais tarde decido.
Abraço.

Fernando Andrade. disse...

Olá João.
Pois, por aqui, as "endorfinas" que arranjo, andam um bocado adulteradas e provocam-me um efeito paralizante. Desde o dia 6 de Dezembro que não lhe toco. Não sei onde arranjar "produto" de boa qualidade.Já sei : no Porto, mas acho que este ano não dá para ir à S. Silvestre (com muita pena minha).
Grande Abraço.
FA

joaquim adelino disse...

Eu bem as procuro (as endorfinas)para curar todos aqueles dilemas que enfrento todos os dias, ou quase todos, e o problema é que não encontro o sentido de lá chagar, e há um que me divertiu imenso, o anti-velhinho e pensei, será que este tipo está a brincar comigo? eu bem procuro o tal de endorfina até para alimentar a esperança de ver correspondido tal desejo, enquanto não a vislumbro vou-me conformando diariamente em ver aumentar no alto dos meus 1,68m uma avenida que cada vez vai contando com menos obstáculos. Os que vão resistindo estão como eu, aguardam melhores dias na esperança que os treinos e as corridas e os tais benefícios que daí advêm (e sobre isso não tenho dúvidas) possam contribuir para que os amanhãs se sucedam de acordo com a ambição e o desejo que deposito nesta massa que as estradas diariamente vão tragando.
Por falar nisso, ao fim de 4 dias treinei hoje com o Daniel no P. das Nações,uma hora bem puchadinha.
Cuidado com o frio amigo João , aí para o Norte as coisas estão bem mais severas, aqui a temperatura subiu um pouco graças a uma ajudinha ali da 2ª Circular, ainda assim temos de ter cuidado pois pode ser sol de pouca dura!...
Com a certeza de ficar aquém do exigido, envio-lhe um abraço de grande apreço, com o desejo que tenha umas Festas Felizes junto dos seus e amigos.

Anónimo disse...

boas joao

endorfinas realmente é incrivel o nosso organismo quando a coisa parece que n vai ele empurra, eu vou á s.silvestre de lisboa em busca do minuto 35 aos 10km , parece dificil mas vou dar tudo e ja arranjei lebres de serviço

paulo martins

João Paulo Meixedo disse...

Desde o dia 6? E eu que me andava para aqui a queixar ... já nem digo nada, amigo Fernando.
Hoje saí para mais um encontro com o dealer, mesmo debaixo de chuva, e já me sinto bem melhor, mas apenas da alma, porque o tal de tendão faz questão de dizer presente, o palerma.
Um grande abraço.

ps.(r) ontem adormeci embalado pelas Melíadas. Dificilmente falharei, no próximo ano. Avancem com o encontro blogger na meia da areia, que é para o pessoal se testar.

João Paulo Meixedo disse...

Ora aí é que está, meu caro amigo Joaquim, não se esqueça de que há drogas legais, e esta é uma delas, e ainda por cima gratuita. Quer dizer, não custa dinheiro mas dá um certo trabalho, e não é para qualquer um.
Quanto à tal vaga de calor, como bem sabe, o meu clube milita, por ora, noutra divisão, pelo que só me dei conta do resultado no dia seguinte.
De qualquer das formas, e de acordo com o meu filho que falava com o avô ao telefone: "sabes vovô, deu na televisão que está uma vaca com frio na Europa e que vem aí para Portugal".
Grande abraço.

João Paulo Meixedo disse...

E espero bem que o consigas, meu caro amigo; há já muito tempo que não mudo os recordes ali ao canto superior direito.
É verdade, aprovas o restyling?
Abraçôm

Jorge disse...

Amigo João desejo a vc e sua família um feliz natal e um próspero ano novo e que Deus vos abençoe e que em 2010 vc continue com esta força total.
Um abraço

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.blogspot.com

João Paulo Meixedo disse...

Obrigadão, Jorge.
Tudo de bom para você e sua família em 2010, ... e 2011, 12, 13, ... sempre.
Abraço

José Capela disse...

Pois é Meixedo!

Eu além de ser viciado en endorfinas, sou também passador, pelo que em caso de prisão arrisco uma pena maior!

Droga de lesões! Issó é que é uma droga dura!

Aproveito para te desejar um Natal junto à lareira, mas sem que tenhas de carregar a lenha para a alimentar!

Abraço

José Capela

João Paulo Meixedo disse...

He he, podes crer, Capela, a droga das lesões é a pior de todas, mas no caso desta a prescrição foi à medida (como muito bem disseram o Miguel e o Vitor): Correr.
E ainda não sabem a melhor: estou PROIBIDO de fazer séries, eh eh; pelo menos nos próximos tempos.
Um abraço e Bom Natal.