domingo, 3 de julho de 2011

Ultra Trail Serra da Freita - versão "só um cheirinho"

Recém chegado dos 17 km da Freita e, de momento, com preguiça para escrever, deixo-vos aqui algumas fotos de locais por onde hoje corremos, caminhamos e rastejamos.












12 comentários:

Carlos Castro disse...

Deslumbrante!

João Paulo Meixedo disse...

Em Outubro será na nossa terra, Carlos. Trail na Serra d'Arga.
Um abraço.

Lina disse...

Espetaculares!!!!!!!

Anónimo disse...

Muito bonito!
Não faltam as pedras parideiras???
Elsa

Erwin Rudolf J. A. Schrodinger disse...

Presenciar esta natureza no seu estado puro, libertou da "corrosão do esquecimento" uma das cascatas da serra da minha aldeia, pequena porém não menos bela.
Cheirou-me ao curso d´agua que tantas vezes fez valer uma caminhada que culminava por um banho de cascata
jamais descritível em palavras.
Agradável é este blog...
Hasta, JP

João Paulo Meixedo disse...

Tkz, Lina, nada que se compare com as que tu tiras.
Bj

João Paulo Meixedo disse...

Parideiras e das outras, Elsa, que bem me pariram aqui o tornozelo direito :)
Mas sim, faltam, e passamos por elas.
Bj.

João Paulo Meixedo disse...

É isso mesmo, Erwin, estou portanto dispensado do relato :)
Hasta

Erwin Rudolf J. A. Schrodinger disse...

é do modo que fica mais bem empobrecido o vernáculo ;)

joaquim adelino disse...

Grande amigo João, este ano não deu para ir até lá, mas fico muito contente por saber que pisaste aqueles terrenos. Para mim é do melhor que há e deixa-me o encanto de um dia lá voltar.
Imagino-te a subir a Mizarela, aquilo é de loucos e só os mais ousados se atrevem a tal aventura.
Aos heróis que conseguiram concluir a distância dos 70 kms deixo aqui um forte abraço de parabéns.
Para ti caro amigo aquele abraço.

João Paulo Meixedo disse...

ah ah ah, tréguas Erwin ...

João Paulo Meixedo disse...

Caro AMIGO Joaquim,
Que bela surpresa. Ainda não me tinha apercebido das tuas maleitas, que amigo Fernando me explicou na véspera da corrida de S. João.
Espero uma rápida e plena recuperação e fica a promessa de nos encontrarmos na montanha: não espaço de liberdade como este!
Aquele abraço.