sábado, 25 de abril de 2009

Boston Marathon

.
AVISO À NAVEGAÇÃO:
O post é muito longo. Para leitura telegrámica queira, por favor, deslocar-se de imediato até ao ante-penúltimo parágrafo, directamente, sem passar pela casa de partida e receber dois contos. Ou então passar mesmo ao blog seguinte.
.
Doem-me as pernas. Doem-me agora como me doíam no princípio deste treino de 11 km, iniciado às 2 da tarde. Nada que seja, no entanto, de estranhar para quem se deitou à uma da manhã e se levantou às 7 da matina, para trabalhar toda a manhã; isto depois de ter trabalhado tarde e noite anterior até às 23:30; tudo isto, claro está, após ter chegado a casa no início da tarde e na sequência de um período de 32 horas sem pregar olho, iniciado escassas horas após ter corrido uma maratona.
.
Bom, isto já está a ficar muito confuso; o melhor é começar pelo princípio. O princípio mesmo foi quando ainda em 2008 me inscrevi para a Maratona de Boston, mas isso já vocês sabem. Não é necessário recuar tanto. Vamos apenas até sábado passado, quando após uma feijoada no Núcleo Sportinguista de New Bedford, nos convenceram a participar numa corrida de beneficência a ter lugar no dia seguinte (véspera da maratona!).

.

.
Percorri esses 5 km nuns modestos 21:40, que deram ainda assim para me classificar em 41º da geral de entre 414 competidores. O Paulo, esse preferiu acompanhar a esposa, que se iniciou há pouco no mundo da corrida. Na verdade a minha mulher também correu, participando assim pela primeira vez numa prova oficial, sendo que a acompanhei na última milha, porque mal cortei a meta corri em sentido contrário para lhe prestar esse apoio. Já agora, deixem-me dizer-vos que o meu miúdo, de apenas 7 anos, também participou num prova de cerca de 200 metros, tendo-se classificado em 4º lugar.
.

.
Mas tudo isto é pormenor (para vocês, porque para mim é motivo de grande orgulho ver a família alinhar nestas lides). O que eu vos queria contar era que no lanche/almoço que se seguiu (e que rico manjar; nunca vi nada parecido em provas portuguesas) conhecemos um luso-descendente, presidente do Greater New Bedford Track Club, o Fernando que, tal como outros presentes, se preparava para no dia seguinte correr a Maratona de Boston. De imediato combinamos viagem para Hopkinton (local de partida) no autocarro do clube.
.
Acordar às 4:30 da matina, para estar no local combinado uma hora depois. 5:20, 5:25, 5:30, 5:35, 5:40, nem autocarro, nem camioneta, nem carro, nem cão, nem gato … arrancamos e fomos espreitar um pouco mais à frente. Lá estava o maralhal. Afinal não era no parque de estacionamento do Burger King, mas sim no do Mc Donalds, ou ao contrário, sei lá; para mim um hambúrguer é apenas um hambúrguer e quero distância deles nos próximos tempos.
.
Havia tipos de almofada e saco-cama e cedo percebi porquê. Havia também membros do clube Mountain Milers, do Arizona. Após chegada ao local da concentração por volta das 7:00 – onde teríamos que esperar até às 10.30 – e termos saído para uma volta pela athletes village para ambientação e recolha de víveres, regressamos gelados ao quentinho do autocarro, onde ainda chegamos a tempo de testemunhar um acontecimento curioso: um pedido de casamento de um rapaz à sua namorada, ambos maratonistas, que incluiu anel solitário e tudo. Em seguida sacou de 2 enormes autocolantes com os dizeres “just engaged”, para colar nas respectivas camisolas.
.

.
Após salva de palmas e parabéns por parte de todos os presentes perguntei ao noivo se ele teria condições para correr a maratona no caso de a noiva ter recusado o pedido, e se tinha na mochila um autocolante a dizer “just dumped”. Gargalhada geral e comentário do motorista, também maratonista, o italiano Joe: this portugueses are all comedians.
.
No autocarro conhecemos um outro membro do GNBTC: um americano residente em Lisboa que é nada mais nada menos do que o editor em Portugal do Dean Karnazes e que quando soube que eu era português me disse: “já sei de onde me lembro da tua cara; na vépera da Maratona do Porto compraste-me um livro do Dean. Ias com uma criança pela mão”. Pôrra! Ele há gajos com memória de elefante; ou então foi o único livro que vendeu :)
.
Disse-me que vai editar em português o DVD do Karnazes e garantiu-me que podemos contar com eles – Peter Cooper e Dean Karnazes – na próxima edição da Maratona do Porto.
.
Mais uma banana, mais um café, mais uma mijinha, mais um gatorade, mais uma barrinha, mais uma foto, mais uma conversa e lá chegaram as 10:00h – hora de partida dos 14.000 atletas que se qualificaram.
.
Às 10:30h, enquanto esperava juntamente com os outros 13.000 não qualificados na linha de partida passei o tempo, imagine-se, a bocejar! O sono sobrepunha-se à ansiedade e o Paulo gozava com a situação. Dado o tiro, demoramos 12 (!!) minutos a cruzar a linha de partida. O que vale é que o tempo oficial é o do chip.
.
Tínhamos combinado rolar os primeiros 10kms a 5:15-5:20, mas perante tamanha multidão a única preocupação era arranjar forma de, em primeiro lugar, conseguir correr e, em segundo lugar, arranjar forma de ultrapassar os mais lentos.
.

.
Excuse me daqui, excuse me dali, empurra um, empurra outro, trava, desvia, sobe barranco, desce passeio, quando de repente o GPS apita o primeiro km a 4:35. Digo ao Paulo para abrandar, e quase atropelo um palerma que já ia a passo. Os kms sucedem-se mais lentos mas sempre abaixo dos 5:00min/km.
.
O povo é mais que muito, na corrida e fora dela, o Paulo e eu temos que gritar para nos fazermos ouvir, tal a algazarra de sinos, cornetas, trombetas, bandas, gritos, enfim.
.

.
Começo a insistir com o Paulo para que ele siga a corrida dele e aos 7km abrando mesmo para o forçar, pois já tinha percebido que o estava a travar. Despedimo-nos e foi a última vez que soube dele. Até ao final da prova, bem entendido.
.
Retomei o ritmo e comecei a fazer contas de cabeça. A achar que era possível fazer 3:30h se aguentasse bem até à meia. O dia é feriado e as famílias saem entusiasticamente à rua apoiando, oferecendo água, laranjas, bananas, cefé, cerveja (!), colocando cartazes de incentivo e de paródia: “shortcut” (a apontar para um bosque), “Obama says we can, but Kenyans take it all”, e muitos outros.
.
.
Lá passei a meia com 1:40 e comecei a gerir o esforço, abrandando e bebendo em todos os abastecimentos, até que por volta dos 30km aparece a famosa Heart Break Hill, uma subida de cerca de 2km que faz as primeira vítimas. O final da mesma coincide com a entrada em circuito urbano, com a presença de muitos milhares de espectadores numa gritaria ensurdecedora e utilizando megafones com palavras de incentivo dizendo que passamos o pior, que agora está praticamente feita a maratona. A verdade é que acreditamos e todos aceleramos, eu chego a fazer os meus dois kms mais rápidos até ao momento, ainda faço mais um e mais outro, até que caio em mim e percebo que ainda faltam 6 ou 7 kms. Da cintura para baixo, tudo me dói (tudo excepto … bom, adiante. O joelho esquerdo ferve e é regado com dois copos de água em todos os abastecimentos desde antes da meia. Os quadriceps estão plásticos. Vejo gente a cair, como verei até aos últimos metros da prova, e começo a temer uma dor forte ou uma cãibra. Lá me aguento e corto a meta com 3:24:06, com 42.660m no meu GPS, provavelmente devido às centenas de esses que fiz durante toda a prova para poder ultrapassar multidões.
.
.
Fico em 5577º de entre 22.849 atletas classificados abaixo das 6:30h, o que me coloca em 3º dos 8 portugueses presentes, sendo que fiz uma prova literalmente de trás para a frente, não passando 10s sem fazer uma ultrapassagem, e nunca tendo sido ultrapassado durante toda a prova. Poupo-vos aos pormenores emotivos e demasiadamente pessoais da chegada bem como ao frio e vento que enfrentei durante a prova, não sem antes vos dizer que o Paulo já se encontrava à minha espera, tendo registado um tempo oficial de 3:09:06, tendo sido o melhor português e, já agora, o tempo mais rápido de todos os que se deslocaram no autocarro do GNBTC. Classificou-se em 2562º.
.
Nós com o Fernado, após a prova.
.
No dia seguinte, já no avião, recebo das mãos da hospedeira o jornal The Boston Globe, com uma separata inteiramente dedicada à Maratona, incluindo a listagem de todos os atletas que concluíram a prova, de onde constam o do Paulo e o meu próprio.
.
.
Para recordar até ser velhinho.

44 comentários:

Anónimo disse...

grande corrida ainda tou a sofrer das pernas mas quando me lembro da prova e da emoção , foi fantastico

abraço

paulo martins

PIEF ABRANTES disse...

Caros Amigos!
Grande feito o vosso. Muitos parabéns!
Devem ter passado por momentos que qualquer um dos que vos acompanhou à distância desejam passar um dia.
Votos de boa recuperação que outros desafios virão.
Eu estou neste momento a desejar o próximo dia 10 de Maio, para participar na Maratona Carlos Lopes.
Mais uma vez, MUITOS PARABÉNS!
Luís Mota

João Meixedo disse...

Olha, Paulo, acabo de treinar e acho que arranjei uma micro ruptura, ou o escafandro! Já ia com 7 km, a um ritmo de 4:40, quando a coisa me atacou. Bem me dizias para recuperar com treinos lentos, mas já sabes que eu sou assim; toda a vad fui e quero continuar a ser: a emoção obrepõe-se à razão.
Grande abraço e vai pensando no próximo desafio que me queres propor.

João Meixedo disse...

Muito obrigado, caro Pief, AKA Luis Mota :). Por este e todo os incentivos anteriores. Muito temos a aprender contigo.
Desejo uma excelente maratona (que já sei que vai ser).
Um abraço e até breve.

Novais disse...

Excelente João:
parabens mais uma vez pelo tempo que conseguiste retirar parabens também para o paulo Martins pelo excelente tempo 3:09 para quem começou à pouco mais de um ano a correr é sem dúvida qualquer de anormal.
Parabens aos dois...

runningirl disse...

João

te felicito pela narrativa e parabéns pelo otimo resultado. Eu corri a maratona de Bostom em 2007 e ate hoje me lembro de cada detalhe. Uma das melhores maratonas que ja corri.

Vou seguir o seu blog pois este é muito interessante. Se quiser visitar o meu serás bem vindo.

Abraços
Sandra

www.partridgeusa.blogspot.com

Mark Velhote disse...

Grande Meixedo,

Parabéns por este relato e pela maratona que foi efectivamente fantástica!
E agora: from Boston directly to Cortegaça City?
Espero que essa micro-rotura não seja nada de grave!

Grande Abraço

Mark

João Meixedo disse...

Obrigado, amigo Novais, já estou com saudades é de treinar com os outro Leões: os Do Veneza.
Só quarta-feira me posso juntar a vocês.
Até lá, grande abraço.

João Meixedo disse...

Obrigado pelas palavras e pela visita, Sandra.
Seguramente que vou retribuir a visita.
Até breve, assim espero.

João Meixedo disse...

Claro, caro Mark; espero estar em Cortegaça para uma meia que nunca corri; mas esta coisa parece-me mesmo uma rupturazita.
Vou ter que aguardar uns dias para perceber.
Grande abraço.

BritoRunner disse...

Muitos parabéns pelas marcas da lagartage.
Temos maratonistas.
Adorei o relato.
Espero que as pernas voltem ao ritmo normal o mais rápido possível para novas aventuras

João Meixedo disse...

Obrigado, caro Brito, agora há que assentar poeira e recuperar as gâmbias :)
Abraço.

Carlos Lopes disse...

Olá João

Parabéns meu amigo, um feito notável.. e de respeito.

João Meixedo disse...

Obrigado, caro Carlos.
Ainda não recuperei :)

joaquim adelino disse...

Amigo João.
Eu li toda a bonita história aqui deixada na aventura por terras da América e culminando com a excelente presença na Maratona de Boston.
Certamente terá ficado com água na boca e com vontade de repetir tão rica experiência.
Agora que está de regresso à normalidade a prudência aconselha algum "tino" e estou convicto que vai ter isso emconta.
Obrigado por deixar um comentário no meu blogue... aquela da "faca" creio que não foi ofensivo, ela de facto pode ser utilizada, o nosso azar é que ela tem sido utilizada por imcompetentes e que apenas vem cortando a direito/inho/a.
Abraço.

Jorge disse...

Show meu amigo, quer dizer que encontraste o grande campeão ultramaratonista o Dean Karnazes...
PARABÉNS...

Um abraço,

JORGE CERQUEIRA
www.jmaratona.blogspot.com

José Capela disse...

Grande Meixedo e grande Martins!

Parabéns pelo resultado.

Grande relato!

Completar uma maratona é algo de tão emocionante que só mesmo quem teve essa vivência consegue compreender!

Viva a maratona!

Abraço

José Capela

Everton Domingues disse...

Delicioso o texto, amigo João...
Gostei da tua visita em meus blogs, mas ainda mais em desfrutar de vários e únicos momentos dos bastidores em Boston, contados por ti. As corridas de rua propiciam um 'mundo' enriquecedor pelos seres q o povoam. Por isso tb (além de minha saúde mental/fisica/espiritual e profissão como jornalista esportivo) q estou voltando às corridas no asfalto. Vou indicar teu belo conto em meus blogs e voltarei aqui mais vezes. Ganhaste outro amigo no além mar. Um q tb quer ter uma familia corredora como a tua!
Gde abraço

Everton Domingues
www.beijingolimpica.blogspot.com,
www.vancouverolimpica.blogspot.com e
www.londresolmpica.blogspot.com

Rui Pena disse...

Grandes tempos caro Meixedo e Paulo Martins... e isso é que foi uma viagem...

Bela é a vida que aqui se relata. Parabéns aos dois.

Rui

António Almeida disse...

Caro João
os meus parabéns aos dois "leões", que foi mesmo o que vocês foram, tempo sensacional o do Paulo Martins e o do João também foi bastante bom melhorando bastante o tempo do Porto.
Excelente relato.
Boa recuperação e mais uma vez os meus parabéns.
Grande abraço.

João Meixedo disse...

Não esteja tão certo disso, amigo Avelino, fui treinar e esqueci-me do tino em casa. Resultado: ache que arranjei hoje mesmo uma ruptura. Ia todo entusiasmado a um ritmo elevado e pimba.
Pôrra, há cerca de um ano que não sabia o que era uma lesão.
Quanto ao resto, continuemos a correr pelo lado correcto da pista :)
Grande abraço.

João Meixedo disse...

Não, amigo Jorge, encontrei o editor dele, mas o Dean Karnazes já o tinha encontrado na Meia do Porto, ano passado.
Abraço.

João Meixedo disse...

Viva, caro Capela. Viva mesmo.
E grandes parabéns pelo teu feito na Meia da Póvoa.
Grande abraço.

João Meixedo disse...

Palavras muito simpáticas e encorajadoras caro Everton.
Fico sensibilizado.
Mantenhamos o contacto

João Meixedo disse...

Obrigado, Rui. Agora é tempo de voltar ao pica-boi :)
Abraço.

João Meixedo disse...

Muito obrigado, amigo António.
O do Paulo foi efectivamente canhão.
Abraço e até breve.

Ricardo Baptista disse...

Grandes Marcas! Grande Maratona! Grande viagem! Grande relato! Tudo em grande. Parabéns.
Eu espero um ano destes poder ir a essa maratona mitica.
Mais uma vez: Parabéns pelas marcas e pelo relato. Boa recuperação (com calma).

João Meixedo disse...

Grande apoio, caro Ricardo, assim até me sinto atleta :)
Na recuperação já meti água: puxei de mais no treino de ontem e já estou aqui com um músculo a meter nojo.
Até breve.

MPaiva disse...

João,

Estava a ver que o post sobre Boston não saia! Agora já percebi porquê...

Quero dar-te um grande abraço de parabéns pela fantástica prova que fizeste. Cá para mim andaste a fazer bluff quando dizias que estavas a treinar pouco. É que conseguiste melhorar só uns 25 minutos ao tempo do Porto/2008!

Parabéns pela descrição da prova. Ler estas coisas deixa-nos com "água na boca" e a sonhar com a nossa vez de lá estar!

abraço
MPaiva

PS - Quanto ao treino do fim de semana, já o considero obrigatório! Vai é ter de ser lento, pois tenho a certeza que vai haver muitos motivos de conversa!

João Meixedo disse...

Obrigado também pela tua visita, Miguel; e pelas tuas simpáticas palavras.
Ainda ando às voltas com uma microqualquercoisa que arranjei já cá; mas acho (espero) que no fim-de-semana já esteja debelada.
Abraço

Fernando Andrade. disse...

Amigo Meixedo

Confesso que quando olhei para a extensão do texto, pensei :-Eh pá, o Meixedo esticou-se! (nada que a a mim não me aconteça muitas vezes).
Mas aquele "Aviso à Navegação" -estratégia brilhante - cativou-me.
Li gostosamente todo o relato. Passagens houve que chorei a rir. Acompanhei a Maratona "colocando-me" na sua personagem. E vivi também as emoções (as tais que disse querer poupar-nos delas -mas aí foi mal sucedido).
Um dos mais agradáveis momentos que passei aqui na blogosfera.

Obrigado Amigo Meixedo
E quero também dar-lhe os Parabéns pelo espectacular relato e pela excelente Prova, pois 3,24 é uma marca que tem que se lhe diga.
Grande Abraço
FA

João Meixedo disse...

Caro amigo Fernando, os outros caros corredores blogers que me perdoem, mas vindo de si o elogio tem outro sabor.
Parem lá com isso que ainda me convencem que eu sei escrever.
Um abraço muito grande e parabéns por ter sobrevivido à extensão da coisa.
Sou adepto de posts curtos, mas este não dava ( e nem imagina o que cortei)
Novo abraço,
JP

Carlos Jesus disse...

Só posso desejar a todos os que foram a continuação de bons treinos e corridas.
Eu, infelizmente, por lesão tive que desistir a poucos dias do embarque.
Quem já fez Boston, agora é partir para outra.
Para mim, resta-me a esperança para o ano.

ecologic disse...

Em grande Paulo, tanto a prova como o relato. Muitos parabéns.

João Meixedo disse...

Nem sei que dizer, Carlos.
A minha solidariedade é pouco.
Até me sinto mal se o fiz ler o meu relato.
Desejos de rápida e boa recuperação.
Há mais marés que marinheiros.

João Meixedo disse...

Se tu és quem eu penso, Ecologic, espeara até eu te mostrar as fotos de hidroponia que tirei nos usa.
Aquele abraço.

José Alberto disse...

Caro João,

Como o meu tempo hoje é escasso, segui o seu conselho e segui directamente para o último parágrafo.

Pode, porém, estar certo de que não deixarei de aqui voltar para ler em pormenor toda a vivência desta sua maratona.

Não posso é deixar de lhe dar os meus parabéns pelo excelente tempo realizado.

Abraço
José Alberto

João Meixedo disse...

é, portanto, dia de séries, José ALberto? ;)

henrique disse...

Meus parabens pelo otimo desempenho na maratona de Boston. Lendo seu blog praticamente corri contigo. Depois de 10 anos sem fazer maratona pretendia correr a Maratona de Berlin e 1 semana depois a Meia Maratona de Lisboa mas desisti por recomendação do treinador, pois não conseguiria o objetivo de terminar em menos de 3horas. Fica para 2010.
Um abraço
Henrique Shitsuka - Atleta equipe Play Team.

João Meixedo disse...

Muito obrigado pela visita, Henrique. Estou a pensar fazer duas maratonas por ano, sendo que tenho a de Berlim apontada como a próxima, mas ainda é cedo para perceber como vou recuperar.
Quem sabe não nos encontramos lá.

henrique disse...

Caro João
Eu diria que seu amigo Paulo Martins é um "otimo" corredor inclusive com split "negativo" (1/2= 1:35:52; 1/2= 1:33:10). Qual é o segredo de treino dele?
Voce é um "bom" corredor, com split acima da media (1/2=1:40:02; 1/2=1:44:05).
Hoje eu seria um "pessimo" maratonista. A decisão de não ir para Berlin se pautou em resultados de corrida oficial(1/2= 1:27:14).Em treinos meu treinador sabe que eu faria a outra 1/2 em aproximadamente 1:40 a 1:43, tendo uma queda de rendimento, o que daria 3:10hs muito "sofrido".A 10/ 15 anos atras eu fazia para 2:40 a 2:43hs.Apesar de 54 anos, queria estrear no exterior abaixo de 3:00hs; afinal é caro sair do Brasil. Alem de Berlin, outra opção seria NY mas isto para 2010.
Eu acompanho dezenas de blogs (Ex: Jorge Maratonista, Running Kitigai etc...).
Um abraço
Henrique Shitsuka-Equipe PlayTeam
São Paulo - Brasil

Anónimo disse...

ja ganhei o dia , uma medalha para o Henrique , disse que eu era um optimo corredor o meu ego ta em alta. Em Berlim ou no Porto tenho de baixar das 3 horas

abraço

Paulo Martins

P.S: Em Setembro vou comemorar um ano de treinos e de atletismo graças a ti joão , que castigo que me arranjaste e agora n largo o vicio

Mark Velhote disse...

Alguém falou em Berlim?
Sou todo ouvidos!

João Meixedo disse...

Já tenho uma agência a tratar do assunto. E mais não digo ... :)