segunda-feira, 15 de novembro de 2010

E vão seis!

Segunda-feira. Nove da manhã. Frio, chuva e vento. Arranco lentamente do Jardim do Cálem e vou rolando sem pressas em direcção à Foz do Douro. Na Cantareira quase levanto voo.

Assaltam-me pensamentos variados. Uma sucessão de imagens da minha memória recente que se vão atropelando. O puzzle vai sendo lentamente montado. Dou-me conta de que me não doem as pernas. Nenhum músculo reclama. À excepção do já famoso isquiotibial, a máquina parece-me em condições.

Vou progredindo contra a nortada e tentando perceber se a Maratona da véspera me correu bem ou mal. A primeira conclusão é a de que o excesso de confiança me fez relaxar em demasia. Dever-se-ia ter imposto alguma tensão. Não muita, apenas qb. Ainda o primeiro quilómetro não estava cumprido e já tinha que dar um nó no abono de família. Em busca de um local discreto perdi companheiros de jornada. Cronometrei um minuto e dez de alívio. Recordo-me que abalei Avenida da Boavista abaixo em busca de ritmo e de companheiro de luta, e de que rolei entre os 4:45 e os 4:55 até aos 20km. Tive que novamente trocar a água às azeitonas, numa altura em que rolava na companhia do Mesquita, que tinha alcançado por volta do km 16 e com quem seguia em bom ritmo.

Perdi o Mesquita e perdi o ritmo. Passei a meia com 1:43. Rolava agora entre os 5:05 e os 5:10 e assim me mantive até ao km 28 onde, à porta de casa, tinha a família à minha espera e onde recolhi um tubo de gel que partilhei com uma atleta que acabava de alcançar e que me parecia em dificuldades. Retorno no Freixo, nova passagem à porta de casa e mais um gel para o bolso.

Tinha agora a companhia da tal colega de jornada e parecia que nos íamos entender bem. Rolamos 2 ou 3 quilómetros em torno dos 5:15 e chegamos ambos a pensar que tínhamos parceria para levar até ao final da prova, mas à saída do túnel da Ribeira encontro o Vítor em dificuldades e sem hesitar paro.

Estava com dores musculares e com ele alonguei um pouco. Arrancamos para logo adiante pararmos no abastecimento da Alfândega. O quilómetro era o 32 ou 33 e o local o mesmo onde na edição do ano anterior tinha largado o Miguel, com quem rolava desde o início da prova, para terminar com 3:25.

Se encontrei o tal muro? Não sei mas acho que não. Sei que a partir daí não mais parei mas também não mais consegui correr abaixo dos 5:30. Sei também que não sonhava desesperadamente com a meta.

Terminei com o habitual sprint, com um tempo final de 3:39. Mais 15 minutos do que o meu melhor tempo e menos 11 que o meu pior. Concluo que apesar que estar a contar com um tempo na casa dos 3:35 a coisa até nem correu nada mal.

Trago agora o vento pelas costas e rolo sem dificuldade a um ritmo acima daquele que seria aconselhável. Termino as minhas reflexões no momento em que avisto o Clube Fluvial Portuense. Um mergulho, umas braçadas e que bem me sinto.

O que eu andava a perder quando só andava aos chutos à bola!

20 comentários:

Vitor Dias disse...

Pois meu velho. Mais uma. Meia dúzia. Foi a primeira vez que nos encontramos numa maratona. Sem nos conhecermos, chegamos à conclusão que nos estreamos na distância no mesmo dia e que agora temos o mesmo número de maratonas nas pernas. Esta já está e a próxima já nos espera. Venha Milão já nos espera. 1 abc

luis mota disse...

Grande João!
Sabia que estarias presente no Porto.
Com empenho e tranquilidade superaste a tua 6ª Maratona, parabéns.
Boa recuperação e em Abril teremos a 7ª?
Grande abraço,
Luís Mota

Erwin Rudolf J. A. Schrodinger disse...

Folgo em saber factos animadores.
Já pensava que a maratona não era para ser, que Adelaide teria dado cobro ao isquiotibial.
De minha parte, após um período de infortunada ociosidade e por providência do acaso foram ontem 15km com direito a quase morte, hoje pelas 11.30h outros 15 km.
Nada comparável a um revigorante mergulho, no entanto transpirou a ordem no caos, vencida que foi a inactividade crónica que assediava-me.
Continuação de bom trabalho e excelentes posts.

joaquim adelino disse...

Num treino excelente e em boa companhia, a reflexão. Não fora o apoio ao Vitor e o objectivo de marca na Maratona tinha sido conseguido, mas os amigos são para isto mesmo, estar lá quando de facto eles precisam de nós e o Vitor bem merce esse carinho fraternal, eu que o diga, quando cheguei ao final da Maratona ele lá estava com uma palavra amiga que me ajudou a assentar um pouco as ideias, mal sabia eu dos problemas porque tinha passado e que estou agora a tomar conhecimento.
Caro João folgo em saber que correu tudo bem e estás novamente com a moral em alta, agradeço-te novamente por teres esperado por mim na meta, sem êxito, (acredita, eu não me perdi mas arrastei-me bastante para chegar lá)e aquele telefonema que me apanhou já em pleno auto-estrada a caminho de Lisboa a saber se eu já tinha descoberto a linha de chegada no Parque da Cidade do Porto, hehehe. Obrigado amigo pelo gesto.
Eu ia bem e confortável no Autocarro mas ia a começar a ficar com uma forte "azia", pois que ao longo destes dias ainda não me passou totalmnte.
Olha, desejo tudo de bom para vocês e que o petiz continue com o sonho de chegar a craque e quando for grande consiga mudar de camisola, de preferência para a minha.
Abraço.

Carlos Castro disse...

...E é assim que elas se vão somando e construíndo um palmarés de invejar!
Parabéns pela 6ª e continue a desfrutar das belas corridas... que (também eu acho!) trazem bem mais do que os tais chutos numa bola (a bola até causa azia, como li num comentário de um amigo!... - eu também sei o que isso é!... Eh! Eh! Eh!).

João Paulo Meixedo disse...

Pois então que seja Milão, caro Vitor. Vamos lá fazê-los esquecer o Mourinho.
Grande abraço.

João Paulo Meixedo disse...

Grande és tu, Luís. Olha, como dizia o outro: "estou maravilhado". Passo-me com os teus resultados.
Os Quenianos que se cuidem.
Teremos a 7ª em Milão, já está decidido.
Grande abraço.

João Paulo Meixedo disse...

Isso é mesmo sério, Erwin?
Fico muito contente, mas não será demasiado para início?
Teremos maratonista dentro em breve?
Hasta

João Paulo Meixedo disse...

Caro amigo Joaquim. Que bom foi o reencontro e aquele abraço sentido já a escassos metros da linha de partida.
Infelizmente não nos vimos em nenhum dos 3 retornos, ainda estou para saber porquê. Efectivamente aguardei um pouco no final, mas tinha compromissos familiares e tive que abalar.
É pena que estes encontros sejam tão fugazes. Um grande abraço e até a uma prova qualquer um dia destes qualquer.
Um enorme abraço.

João Paulo Meixedo disse...

Fico é à espera de nos encontrarmos na edição do próximo ano, caro conterrâneo; desta vez para ambos a corrermos.
Um abraço e votos de boa recuperação.

Pinhoquinto disse...

Parabéns. Pela maratona, que foi a da minha estreia, pelo relato e pelo companheirismo.
Em Milão vou convosco (no avião, porque na maratona...).
Grande abraço

Vitor Veloso disse...

Olá Joao,
Sempre bom rever os amigos, mesmo só quando nos cruzamos nas provas e cumprimentamos.
Parabéns, brilhaste na Maratona, e pela 6º Maratona realizada, venham mais 6º!!
Grande abraço
Ate um dia destes
Vitor

João Paulo Meixedo disse...

Caro amigo Pinho; parabéns mas é para ti por essa estreia em grande.
Quanto a Milão, o que interessa é o Maraturismo ;)
Um abraço.

João Paulo Meixedo disse...

Caro Vitor Veloso,
Tu é que estás em grande forma. Até abanava quando nos cruzávamos.
Um grande abraço.

MPaiva disse...

João,

Fizeste uma boa prova, gerindo muito bem o esforço. Este ano não corremos lado a lado e, vendo bem, talvez tenha sido isso que me levou à desgraça!
Parabéns pela prova e, mais uma vez, pelo relato!

abraço
MPaiva

Fazer Amigos a Correr disse...

Parabéns companheiro
Em termos de maratonas de estrada,empataste comigo,agora faltam as de montanha e as ultras,ahahahah...
Se me tivesses avistado á mais tempo,eu estava feito ao bife,mais uma vez eu tinha sido apanhado!
O futebol,também eu lhe tenho azia,porque não o deixei á mais tempo...!
Grande abraço
Paulo Rodrigues

Flechinhas disse...

Olá Meixedo
Como sabe somos grandes aficionados da Maratona e todos os anos tentamos realizar uma, de preferência das melhores. Vi no Vosso Blog que realizaram a de Boston. Gostava de trocar mais impressões sobre o assunto.
Se tiver disponibilidade para isso agradeço o seu contacto.
osflechinhas@gmail.com

João Paulo Meixedo disse...

Caro amigo Miguel, desculpa a demora na resposta, mas tenho andado "a mil".
De facto, também tenho que te dar os parabéns, pela coragem de parar. Sabemos qual a pressão e, muitas vezes, decidimos erradamente continuar.
Um abraço.

João Paulo Meixedo disse...

Nunca empatarei contigo, caro amigo Paulo. Estou uns furos largos atrás de ti, com quem tenho aprendido muito desde o início das minhas passadas.
Aquele abraço.

João Paulo Meixedo disse...

Caros amigos Flechinhas, é ir a Abril de 2009, aqui no blog, e ler toda a epopeia em meia dúzia de posts.
Vou entrar em contacto convosco, via mail.
Até breve.