quarta-feira, 17 de julho de 2013

O Carlos Sá não é a Popota



A televisão, a televisão, a televisão …

Qual é o vosso fetiche com a televisão?!

Deixem lá a televisão!

Neste desporto dispomos de um privilégio ímpar que é o da possibilidade de convívio com atletas de topo, que treinam nos mesmos locais que nós e com quem facilmente chegamos à fala, trocamos impressões, pedimos conselhos, escutamos relatos, partilhamos emoções.

A nossa participação em provas em que os mesmos estão presentes, misturando-se profissionais com amadores e mesmo com “aprendizes de feiticeiro” é seguramente um factor de motivação, dificilmente ao alcance da esmagadora maioria dos desportos.

Todos nós sabemos dar o devido valor ao Carlos Sá e a tantos outros, e seguramente que os enche também de orgulho e alegria saber que são acarinhados pelos seus pares.

O que procuram quando se lançam nestas aventuras que nos alimentam o imaginário só eles poderão responder, mas atrevo-me a arriscar que buscam sobretudo emoções. Não é seguramente essa tal de fama que os move.

Não ignoro que o destaque nos meios de comunicação é muito importante para que o Carlos obtenha os indispensáveis patrocínios, mas depois de mais este feito estou certo de que não lhe faltarão.
Quanto à tv, mantenham-na desligada que é a melhor atitude que podemos ter em prol da nossa sanidade mental.

5 comentários:

Jorge Branco disse...

100% de acordo!
Só que me chateiam a injustiças e isto de em Portugal desporto ser, quase, só futebol a mim chateia-me mesmo.
Mas é o que vende e o que ajuda a alienar o pessoal!
E com mais este excelente texto contra a corrente lá vou ter que o meter nos aplausos do UK!
Qualquer dia dizem que me andas a subornar eu que nem te conheço he he he he!
Um abraço.

João Paulo Meixedo disse...

Só quem não te conhece, e mesmo à distância acho que já nos conhecemos bem, pode achar que és subornável :)

Quanto ao tema da posta, não pensemos que é uma injustiça mas antes que é um privilégio reservado a poucos o sabermos quem verdadeiramente é o carlos Sá.

E para o Carlos é o mesmo: saber que há milhões que o admiram porque aparece na televisão é coisa efémera a que ele dará pouco valor. Agora saber que há milhares que o admiram por aquilo que tem conseguido e pelo que representa, isso já é uma outr história.

Um abraço.

Carlos Cardoso disse...

Mais um belo texto com uma opinião com a qual concordo na sua essência. No entanto também estou com o Jorge, é frustrante um feito destes não ter o devido destaque nos meios de comunicação social, sejam eles as tv's ou os jornais. Hoje dos 3 desportivos, só O'Jogo refere o feito na capa - é injusto!!!
Acredito que seja como dizes, que para o Carlos Sá isso tenha pouca importância. Cabe-nos a nós continuar a valorizar este feito extraordinário, seja nos blogues, nas redes sociais, nas nossas conversas diárias ou "apenas" como inspiração para as nossas corridas.
Voltando às Tv's, não tenho dúvidas que ele quando voltar vai estar em todas, seja em entrevistas, seja em documentários. Afinal já somos muitos com interesse neste desporto, e a onda está a crescer.
Que sirva não só para o Carlos Sá, mas tb para abrir a porta (leia-se patrocinadores) a uma fornada de excelentes atletas que temos actualmente no pelotão nacional, para que possam chegar ainda mais longe.
Aquele abraço

Carlos Castro disse...

Mas que tiro certeiro João Paulo Meixedo!
Mais um texto que encaixa na perfeição no que realmente é ... real.
PS: Há minutos corri uma prova na pista. Os juízes colocaram ao meu lado o Ricardo Ribas, uma referência do Benfica e companheiro da campeã da europa dos 10.000 m, que estava ali na bancada. No futebol dificilmente tinha estes pequenos prazeres.

João Paulo Meixedo disse...

Caros Carlos :)
Muito obrigado pelas vossas palavras.
Até breve